domingo, 19 de janeiro de 2014

Poema do Penhasco







Você caminha tão firme
Pedras soltas não lhe detém
Penhascos não lhe assustam
E nem vê meu medo... nem olha para trás
Atrasar não lhe convém

Tudo é calmo e natural para você
Nada a temer, tudo é otimismo
Nada o assusta, nada lhe pode deter
Quanto a mim, em um descuido
Piso pedras soltas, e caio no abismo

Você não sente a minha dor
Não vê que estou caindo, caindo
Sem amparo, num voo amador
E nem olha para trás, segue sorrindo

Eu entendi seu descaso
Porque acredita tanto em mim
Não espera que eu precise de ajuda
E me deixa ao acaso...